Blog da Pontte

No Blog da Pontte você encontra dicas sobre empréstimo, finanças, empreendedorismo e todas as informações sobre crédito imobiliário.

Como calcular e interpretar os principais índices de endividamento?

As dívidas fazem parte da nossa vida pessoal e também das empresas e em muitos casos são necessárias para o funcionamento do negócio.

No entanto, é preciso ter um bom controle sobre elas e principalmente saber qual o índice de endividamento da sua empresa para entender o panorama completo.

Aprenda a reconhecer os indicadores, calcular as porcentagens de endividamento e o quanto ter um planejamento financeiro é fundamental para o seu negócio ter lucratividade.

Boa leitura.

índice de endividamento endividamento total

Afinal, o que é um índice de endividamento?

Para grande maioria, empreender não vem com manual de instrução, por isso é comum que muitas empresas comecem a operar sem muito direcionamento financeiro.

A receita parece lógica: preciso faturar mais do que eu gasto.

Mas na prática, tem muitas outras variáveis que impactam um negócio, como capital de giro, fluxo de caixa, verba de marketing, etc….

Nessas horas é preciso buscar capital de terceiros para dar um gás na operação, e é aí que as dívidas começam a aparecer.

Mas sem planejamento financeiro, podem se tornar monstros gigantescos, então, conhecer os índices de endividamento e saber utilizá-los, te dará maior controle da situação.

Os índices vão te mostrar basicamente a proporção das dívidas em comparação ao patrimônio, e assim direcionar as próximas ações da empresa.

índice de endividamento planejamento financeiro

Qual a sua importância no planejamento financeiro empresarial?

Começar um negócio para muitos é uma atividade que vai acontecendo gradativamente, sem necessariamente precisar de um estudo profundo.

É só quando a empresa começa a crescer que as questões contábeis, fiscais e jurídicas começam a se tornar um problema.

Porém, o planejamento financeiro é fundamental já no dia 1, e mesmo quem seja autônomo ou começou a empreender para complementar a renda, precisa entender que organizar as finanças economiza tempo e principalmente dinheiro.

A parte financeira não é nada intuitiva, e por mais que pareça que é só gastar menos do que se arrecada, na realidade tem muito mais coisa envolvida.

Fluxo de caixa saudável, capital de giro, despesas variáveis entre outros, tudo isso demanda crédito, por isso ter algumas dívidas é algo previsto num bom planejamento financeiro.

Controlar o índice de endividamento serve para que os débitos permaneçam dentro de uma proporção aceitável, que permita à empresa operar e ter lucratividade.

índice de endividamento índices

6 principais indicadores de endividamento para acompanhar

Dos indicadores disponíveis, vamos destacar os 6 principais que já serão o suficiente para determinar o índice de endividamento atual da sua empresa.

É importante fazer os cálculos da forma correta e saber interpretar os resultados, pois serão a base do seu planejamento financeiro para os próximos meses, quiçá, anos.

Vamos a eles:

1. Índice de Endividamento Geral (EG)

Esse é o mais básico de todos, serve para dar uma visão geral da situação.

É basicamente pegar os ativos e encontrar a proporção de capital de terceiros contidos ali.

O cálculo é simples: capital de terceiros na operação divididos pelos ativos totais vezes 100. O resultado vai dar a porcentagem geral de endividamento, e quanto mais próximo do 50%, é pior para a saúde financeira da empresa.

2. Índice de Composição de Endividamento (CE)

Aqui nesse índice já é possível esmiuçar um pouco mais o que compõe a dívida da empresa.

A ideia é entender o quanto da dívida está em passivos de curto prazo e de longo, pois quanto mais acúmulo de débito num prazo apertado, mais preocupante é a situação.

Para calcular o CE a fórmula é a seguinte:

Passivo Circulante / (Passivo circulante + Exigíveis de Longo prazo)

Isso ajuda a entender o quanto do faturamento está comprometido com esses débitos, permitindo um ajuste mais preciso do planejamento financeiro.

3. Participação de Capitais de Terceiros (PCT)

Capital de terceiros é todo ativo que entra na empresa que não vem do bolso do dono.

Empréstimo para fluxo de caixa, linha de crédito, fornecedores e afins, tudo isso compõem a dívida mensal da empresa, ou seja, são passivos circulantes.

Para saber a proporção da participação de terceiros o cálculo é o seguinte:

(Passivos circulantes + exigíveis de longo prazo) / (Passivos circulantes + exigíveis de longo prazo + Patrimônio líquido)

Nesse caso específico não tem um padrão, pois esse índice vai variar dependendo do setor, então é importante se comparar a média do seu mercado.

Via de regra, quanto menos participação do capital de terceiros, maior é o controle do empresário sobre o financeiro da empresa e pode se planejar melhor para eventualidades.

4. Imobilização do Patrimônio Líquido (IPL)

Esse indicador serve para mostrar quanto do capital da empresa está investido em bens, como imóveis, maquinário, frota de veículos etc.

Quanto maior a imobilização do patrimônio líquido, menos liquidez de fato a empresa tem, o que pode favorecer o crescimento do capital de terceiros na operação.

A fórmula é a seguinte:

Imobilizado/ Patrimônio Líquido.

Para muitos empresários pode ser uma estratégia de proteção, mas imobilizar demais pode abrir margem para aumentar o endividamento.

Mais uma vez busque as bases do seu mercado para entender qual o valor mais adequado desse índice na sua operação.

5. Imobilização dos Recursos a Longo Prazo (IRPL)

Basicamente mostra quanto dos recursos da empresa já estão comprometidos no longo prazo e quanto disso é aplicado no capital imobilizado.

A fórmula para calcular é: Imobilizado/(Exigíveis de longo prazo + patrimônio líquido)

Em geral é saudável utilizar os recursos de longo prazo para adquirir bens para empresa, o que esse indicador mostra é o quanto isso deixa a empresa a mercê do capital de terceiros, por isso deve ser observado com atenção.

6. Índice de cobertura de juros (ICJ)

Assim como as dívidas, os juros também fazem parte da vida financeira de todo empresário, por isso ter boas linhas de crédito disponíveis é importante.

Este índice calcula justamente isso, o quanto sua empresa é capaz de arcar com as dívidas e também seu potencial lucrativo.

A fórmula de cálculo é a seguinte:

EBIT (lucro antes dos impostos e tributos) / passivos circulantes + juros.

Índices altos indicam que a empresa é capaz de arcar com os juros de suas dívidas, portanto é possível conseguir linhas de créditos mais robustas e com taxas mais em conta.

Conclusão

Portanto, ter um conhecimento bem completo dos índices de endividamento vai te dar uma visão bem mais ajustada do panorama financeiro atual da sua empresa.

Isso vai te permitir fazer um planejamento muito mais assertivo, levando em conta quais dívidas podem continuar e quais precisam de atenção.

Quem empreende há um tempo, sabe que capital de giro é o oxigênio de toda empresa, tanto para operar no dia a dia quanto para crescer.

Então, calcule os seus índices de endividamento e busque linhas de crédito para turbinar sua operação.

Aqui na Pontte Soluções Financeiras temos uma linha de empréstimo para empresas, com capital rápido e juros baixos para você aproveitar, conheça essa solução.

Pontte

Pontte

Somos uma Fintech de Crédito Imobiliário. Oferecemos Empréstimo com Garantia de Imóvel e Financiamento Imobiliário com parcelas flexíveis e controle do contrato. Crédito que se adapta a você, e não o contrário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *